31 de out de 2008

Tudo culpa sua!

Postado por Abutre

Tudo bem que hoje é sexta, vamos todos beber cair e levantar, mas nada impede que possamos aprender um pouco mais, e eu também não posso deixar de passar para frente estas informações que acabei de descobrir.
Em um livro e/ou filme mundialmente famoso “O Segredo” (the secret) é muito bem fundamentada a idéia que nós somos responsáveis pela nossa própria felicidade e realização, e que tudo o que acontece com nós mesmos, é resultado dos nossos pensamentos.
Eu acredito plenamente nessa teoria, porém analisando de um ângulo mais pessimista, de certa forma vamos acabar percebendo que não é apenas por pensar positivo que as coisas boas acontecem com maior freqüência, mas o mérito está muito mais aplicado ao fato de que ser “positivo” torna a aceitação dos fatos ruins mais fácil, e sendo assim até o que seria ruim tornaria aceitável. (um paradigma talvez)
Continuando com a mesma linha de raciocínio, alguns estudiosos e/ou psicólogos como mostrado no filme “Quem somos nós” (originalmente “What the Bleep Do We Know”, ou algo assim ) acreditam que existem pessoas iluminadas na nossa vida, que apenas por existir, fazem a nossa vida mais harmônica e facilita a nossa jornada pela verdade e sabedoria. Assim como a hostilidade e o ressentimento são venenos mentais. 
O fato em comum em todos os pensamentos é que o que acontece com agente está diretamente relacionado a nós mesmos. Ou seja, não adianta reclamar que seu namorado é um idiota, você é a culpada por estar com ele, ou também não adianta reclamar que você tem pais ruins com você, você também é culpado por talvez faltar na retribuição de afeto ou simplesmente por não ser transparente com eles.
Bom, eu falei disso tudo antes para trabalhar um pouco com a cabeça dos remelentos e preparar o terreno para facilitar a absorção desta idéia. E continuando com a linha de raciocínio ainda mais funda e abstrata, eu li a respeito de uma psicóloga americana chamada Louise Hay que acredita que até as nossas doenças são frutos de nossos conflitos interiores e que podemos evitá-las.
Confiram nesta lista que achei na net de um exemplo resumido das causas de algumas doenças:

DOENÇAS/CAUSAS:

AMIGDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada.
ANOREXIA: Ódio ao externo de si mesmo. 
ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.
ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo.
ASMA: Sentimento contido, choro reprimido.
BRONQUITE: Ambiente de família inflamado. Gritos, discussões. 
CÂNCER: Magoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.
COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.
DERRAME: Resistência. Rejeição a vida.
DIABETES: Tristeza profunda.
DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga. 
DOR DE CABEÇA: Autocrítica, falta de autovalorização.
ENXAQUECA: Medos sexuais. Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.
FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro.
FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer. 
GASTRITE: Incerteza profunda. Sensação de condenação.
HEMORROIDAS: Medo de prazos determinados.Raiva do passado.
INSONIA: Medo, culpa.
MENINGITE: Tumulto interior. Falta de apoio.
NÓDULOS: Ressentimento, frustação. Ego ferido. 
PELE (ACNE): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.
PNEUMONIA: Desespero. Cansaço da vida.
PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.
PRESSÃO BAIXA: Falta de amor em criança. Derrotismo. 
PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro Suficiente.
PULMÕES: Medo de absorver a vida.
QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.
RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas. 
REUMATISMO: Sentir-se vitima. Falta de amor. Amargura.
RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.
RINS: Crítica, desapontamento, fracasso.
SINUSITE: Irritação com pessoa próxima. 
TIROÍDE: Humilhação.
TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.
ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.
VARIZES: Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.

Não sei se isto está certo, mas vou tentar ler alguns livros dela e trago mais informação pra galere, por enquanto todo mundo vai ficar boiando igual eu.




Nenhum comentário: