5 de ago de 2009

Sabe a piada do não nem eu?

Postado por Abutre

Se eu te pedir para contar uma piada pra fazer qualquer um mijar nas calsas de tanto rir é bem capaz que me conte no máximo 2 e mesmo assim eu nem deva rir, mas se eu pedir pra alguém contar uma piada ruim todo mundo sabe uma diferente.
Se você ja se achou inútil ou as vezes acha que não faz nada da vida imagina este americano que estudou o motivo pelo qual uma piada ruim fica gravada na memória.
Pois sim, segundo a teoria dele as piadas ruins ficam gravadas na cabeça porque são previsíveis (belessa capeao, até eu sabia disso).
Mas se você ainda não entendeu leia o exemplo:

1 Dois caçadores estão na floresta... um deles cai duro no chão.


Em geral, a piada é breve e começa como uma história comum, com personagens fáceis de ser lembrados pela maioria das pessoas - o português, a sogra, o chefe - passando por situações triviais. Assim fica fácil guardar na memória...

2 O outro liga para a emergência... "Ele está morto! Que é que eu faço?". A enfermeira responde: "primeiro, certifique-se de que ele está morto mesmo".

Esta cena abre caminho para um dos principais recursos narrativos que fazem uma piada ser boa. A partir daqui, é possível contar um fato que ninguém estava esperando e quebrar a sequência lógica dos acontecimentos

Final 1: a enfermeira ouve tiros... e o soldado responde "Tudo bem! Agora eu faço o quê?"

Quando a narrativa toma um rumo inesperado, rola a risada. Mas essa peça diferente, que torna a piada boa, chama mais atenção do que o resto da história, e é isso que atrapalha na hora de se lembrar de como a anedota se desenrolou até chegar aqui

Final 2: O caçador segue as ordens da telefonista e checa os sinais vitais do colega morto.

Se tudo termina com um jeitão previsível, o riso não vem, mas a história se encaixa na memória. Por isso, quando for relembrar uma piada para contar em público, desconfie se ela vier muito rápido à mente

Nenhum comentário: