11 de jun de 2010

Um breve texto sobre o Dia dos otários babacas cegos pelo amor Namorados

Postado por Zoi de Tandera


Hoje comemoramos o Dia dos pobres coitados cegos de amor Namorados. Mas o que diabos temos pra comemorar em tão e famigerada data?

No século 3, o imperador Cláudio II proibiu os casamentos em seu reino, pois gostaria de formar um grande exército, e acreditava que os laços amorosos poderiam representar um empecilho aos homens que seriam designados a engrossar as fileiras de suas tropas. Porém, um bispo chamado Valentim continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Por isso, Valentim foi preso, mas mesmo assim várias pessoas continuaram a jogar flores e bilhetes em sua cela dizendo que os jovens acreditavam no amor. Dentre estes, estava uma jovem cega, chamada Asterias, a filha do carcereiro. Com a permissão do pai, a jovem visitou Valentim, que se apaixonou por ela. Milagrosamente, a garota recuperou a visão. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270 d.C. But who cares?



Hoje em dia, não consigo ver um fragmento, nem uma miserinha de traço da empreitada de Valentim no feriado que se comemora hoje.

Cláudio II tinha planos de engrossar suas fileiras de soldados com jovens proibidos de amar. Hoje em dia, o comércio engrossa as filas de consumidores com jovens com vontade de provar seu amor. E uma coisa em comum entre os soldados e os consumistas é que, salvas raras exceções, são cegos, seguindo ordem superiores sem contestar.

Me deixa puto de raiva ver esses moleques que nem saíram das fraldas direito, com o nariz sujo de remela e com os dentes-de-leite jurando amor eterno. Essas crianças, que nem ao menos mensuraram sua própria finitude juram amor infinito.

O namoro também perdeu um pouco do seu objetivo. Hoje em dia, namorar é muito mais um status social do que pessoal e íntimo. Também é digno citar que "namoro" virou sinônimo de "forma demorada de conseguir uma trepada com aquela virgenzinha chata que não dá pra ninguém". O namoro, além de ser um passo importante antes do casamento, um "test-drive de compatibilidade" também é uma forma de conhecer as coisas da vida, tanto metaforicamente quanto literalmente. Quando aprendemos sobre o outro, também aprendemos sobre nós mesmos.



O amor é mais do que dar beijinhos e mudar o status de "solteiro" para "namorando" no Orkut. É saber conviver a outra pessoa apesar de todos os defeitos, é se transformar numa peça que se encaixe perfeitamente na peça que é o companheiro, ou companheira. O amor é gostar, se transformar, mas acima de tudo, relevar, perdoar, entender e finalmente, aceitar. Isso é amor.

Ou é isso tudo, ou o amor é tão somente uma flor roxa que brota no coração dos trouxas.

7 comentários:

Rodrigo o/ disse...

Concordo o/

-í-n-e disse...

vc é casado???
é pq eu to solteira sabe
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk'

"O amor é mais do que dar beijinhos e mudar o status de "solteiro" para "namorando" no Orkut. É saber aceitar a outra pessoa apesar de todos os defeitos, é se transformar numa peça que se encaixe perfeitamente na peça que é o companheiro, ou companheira. O amor é aceitar, se transformar, mas acima de tudo, relevar, perdoar, entender e finalmente, aceitar. Isso é amor."


Amei o texto por inteiro mas essa parte ufâ abalou!

Thiago disse...

ta assim pq vai passar sozinho

asuhasuhas, zuera

Zoi de Tandera disse...

Não, não estou E NEM pretendo me casar! Nunca!

Giovanna Oliveira disse...

Adorei esse texto!! Concordo com a í-n-e.. essa parte do texto foi crucial!!

Leandro disse...

ahiuoahiuoahoiauhuioah
axo que por isso que eu to solteiro! haiohaihaiohaioh

Saulo fuckin' Viero disse...

É uma merda mesmo.
Uma merda muito merda mesmo.

O significado de "amor" e "namoro" mudaram MUUUUITO no século XXI.
Dá raiva de ver esses casaizinhos na rua aí, dizendo que se amam e depois de dois dias estão com outros.

Puta merda.