24 de jul de 2010

Vida e obra de Jessi Slaugther, a menina que resolveu trucar a Internet e se feriu (MUITO) no embate

Postado por Zoi de Tandera


Então, remelentos, todos nós sabemos que a Internet é uma terra-sem-lei, onde quem pode mais chora menos e se não gostar e ir contar pra mãe leva dois. E que todo mundo que se mete a besta com a Nação Internauta mexe diretamente com seus componentes, e o nível de patriotismo deles só é superado pelo nível de sem-noçãozisse.

E a história de hoje é sobre uma singela garotinha chamada Jessi Slaugther, de 11 anos, e como ela descobriu que os internautas podem ser maus e vingativos contra quem se mete com sua mãe-pátria digital.

CURRICULUM TRETÆ
(como toda a treta rolou)

Jessi Slaugther (seu codinome na Internet) já era uma micro-sub-sub-celebridade numa rede desconhecida feita pra pré-adolescentes chamada StickyDrama.

Aparentemente, um usuário dessa rede postou uma mensagem que essa garota estava tendo um suposto envolvimento com um cantor de uma banda chamada Blood on the Dancefloor. Claro, o pau quebrou, ela é menor de idade, ela postou respostas desmentindo tudo no site, mas ela foi além. Postou um vídeo no Youtube metendo os ferros nos seus "odiadores" (os caras que criticaram ela por causa do suposto envolvimento com o artista). Alguns foram apagados, mas este é o mais recente deles:


Infelizmente esses vídeos foram parar no beco mais escuro e infernal da Internet: o 4chan. Lá sim é terra de ninguém. Lá a zuação É BRUTA. E infelizmente (pra ela), os usuários não gostaram da forma como ela se referiu a si mesma no vídeo, falando que era perfeita, bonita, popular e coisa e tal. E começaram a trollar ela. Brutalmente. Mas como?

Inicialmente, a zoação ficou só na Internet. Alopraram com ela, escreveram e fizeram montagens, e coisas do tipo. Mas a coisa saiu do controle. Não se sabe como, descobriram o telefone e o endereço da casa dela, e o publicaram largamente na grande rede. Aí começaram a passar trotes pra ela, ligaram ameaçando ela e sua família, chegaram ao ponto de mandar entregar cem pizzas em sua residência e (pasmem!) mandar strippers na casa dela! Rolaram até umas histórias que ela "se mostrou de modo não muito ortodoxo" na webcam.

Aí o pau torou de vez. Ela gravou um outro vídeo relatando, muito chorosa, o que estava acontecendo. Só que o pai dela entrou no vídeo, um ex-lutador com bigodes de motoqueiro Hell Angel. Aí o vídeo virou uma mina de epicitude (?) pra Internet Social Memetica. Veja só:


Depois desse vídeo, a Polícia (não a CyberPolice, a Polícia de verdade) entrou na história, afinal, ela estava sendo ameacada. Ela chegou a ficar internada em um centro de saúde mental, pra evitar o suicídio devido à demasiada exposição e humilhação. Esse foi, de longe, o maior e mais brutal caso de CyberBullying conhecido. Ela e seus pais gravaram uma entrevista no programa Good Morning America (equivalente ao Mais Você aqui do Brasil) contando sobre o que aconteceu:


E então, basicamente, foi isso que aconteceu. E quais lições podemos tirar dessa treta toda?

1 - Vigie seus filhos na Internet: Parece ser uma regra óbvia, ver o que os seus filhos fazem na rede é vital. Ter controle total sobre o que é feito no computador por crianças não é invasão de privacidade, é uma forma de proteger. Talvez se ela tivesse sido vigiada, não teria chegado a este ponto.

2 - A Internet é terra-sem-lei e é cheia de gente sem escrúpulos nenhum. Cuidado com o que você fala/posta/escreve nela: se ela tivesse pesado as palavras antes de falar, talvez não tivesse dado todo este problema.

3 - A zoação na Internet faz parte da Internet, mas ela não pode sair de lá: Zoar na Internet com os outros é comum, muita gente é zoada, tanto positivamente quanto negativamente. Mas não é tão problemático quando fica só na Internet. Se você desligar a rede e sair da frente do PC, a Internet deixou de existir pra você. Mas quando as coisas saem , aí sim se tornam MUITO problemáticas!

4 - Isso só ajudou a denegrir mais e mais a imagem dos chans em geral: Os chans são lugares bacanas pra trocar uma idéia, poder postar qualquer coisa anonimamente pode ser útil na hora de pedir um conselho sobre algum assunto delicado ou que você considere confidencial, ou pessoal. Mas tem gente que confunde isso, e começa a fazer merda porquê (acha) que está anônimo (o que não é verdade, tudo o que é feito na Internet é, de alguma forma, registrado). Então, a parte dos internautas não frequentadores de chans tem uma imagem muito negativa sobre esse tipo de site. E esse comportamento lastimável de uma minoria de frequentadores só denegriu mais a imagem já ferida desse tipo de rede social.

5 - Ela é só uma criança: por mais que ela tenha zoado o plantão e aloprado com todo mundo da Internet, ela é só uma criança, porra! Ela só tem 11 anos! Ninguém gosta de ver ou fazer uma menininha de 11 anos chorar, então como mais de um milhão de internautas fizeram isso? Seria sadismo? Ou só loucura coletiva mesmo?

Pitaco do Costela

6 - DON'T MESS WITH THE FUCKING INTERWEBS!! A internet tem mais força do que você imagina. Já elegemos presidentes, criamos leis e definimos Big Brothers. Quer brincar vem pro play, mas aguente as consequências.

Fim do pitaco

E lembrem-se, malditos perpetradores da Internet:

5 comentários:

Anônimo disse...

Se lascou. :)

Lucas AeR disse...

Puta merda, coitada dela. Mas essa família é no mínimo problemática. Se eu vejo uma filha minha, de 11 anos, falando do jeito que ela falou no vídeo resposta aos haters... Meu amigo, não tem lei da palmada que me segura.

Marcos Protazio disse...

Karalho, to impressionado com a estoria dela viu, quando a galera que zoa não tem quem segura. Pirei!!

Marcello disse...

Acho que a culpa é dos pais.

Primeiro que com 11 anos uma menina não pode viver na internet e se achar uma adulta como na resposta que ela deu aos haters.

Concordo com o texto que a zoação ficou pesada demais quando extrapolou os limites do virtual e rolou até ameaça de morte, mas acho que é uma boa lição pra família, eu se sou o pai, essa menina vai ficar sem contato com o mundo virtual por muito tempo.

Ridículo a atitude do pai, mas se pensarmos bem na cara de idiota que ele tem tá explicado pq a filha é desse jeito.

Grande abraço.

Anônimo disse...

pqp essa menina tinha que ter pensado antes de chingar todos os usuarios do youtube ai depois que fez a merda que foi se sentir mal vai pra putha que pariu tb