14 de out de 2009

Arte em ASCII

Postado por Zoi de Tandera


Sempre curti a ASCII Art, aquelas figuras feitas exclusivamente com caracteres de texto para computador. Tão comum em programas e jogos antigos de computador exclusivos para MS-DOS, em e-mails que seus "ocupados e produtivos" colegas de trabalho lhe enviam e também naquelas malditas e desgraçadas correntes imbecis do Orkut, do tipo "Kombi com cabeça de Patrick com punho doido de linguiça soltando hadouken: se você não mandar pra 5 brother, você não é um brother". Por gostar tanto da ASCII art, resolvi fazer um post especial em sua homenagem. Só um aviso antes: eu não sou historiador, nem técnico em telecomunicações, nem sou formado em belas-artes, por isso, se eu escrever alguma "cagada", por favor, releve, pois perdoar é divino, e me dê um toque no espaço para resmungadas para que eu conserte.

--- A história da ASCII ART ---

1. Tottaly Very Very Old Skool ASCII Art
A arte de transformar letras em figuras é muito mais antiga do que pode parecer. Um exemplo disso são os Aerógrafos Hieróglifos egípcios, que inegavelmente transformaram sua escrita em arte visual.



Andando mais um pouco na linha do tempo podemos citar os antigos livros manuscritos medievais, onde a primeira letra no alto de uma página recebia um tratamento artístico especial, como cores mais fortes, padrões regulares, floreios e ramos desenhados.



Algum tempo depois disso, as pessoas começaram a fazer a "Old Skool ASCII Art do it yourself", com papel e caneta, criando assim os chamados "Caligramas".



Logo depois, este tipo de arte deixou de ser feita na munheca e passou a ser feita por meio de tipografia. Um exemplo é este trecho do livro "Alice no país das maravilhas", de Lewis Caroll. O trecho, em inglês,de 1865 representa visualmente uma cauda comprida de rato.

          "It _is_ a long tail, certainly," said Alice, looking
down with wonder at the Mouse's tail; "but why do you
call it sad?" And she kept on puzzling about it while the
Mouse was speaking, so that her idea of the tale was
something like this:----"Fury said to
a mouse, That
he met in the
house, `Let
us both go
to law: _I_
will prose-
cute _you_.--
Come, I'll
take no de-
nial: We
must have
the trial;
For really
this morn-
ing I've
nothing
to do.'
Said the
mouse to
the cur,
`Such a
trial, dear
sir. With
no jury
or judge,
would
be wast-
ing our
breath.'
`I'll be
judge,
I'll be
jury,'
said
cun-
ning
old
Fury:
`I'll
try
the
whole
cause,
and
con-
demn
you to
death'."
2. Very Very Old Skool ASCII Art
Com o advento da tecnologia de produção industrial, as máquinas de escrever deixaram de ser um luxo de poucos e começou a ser uma coisa relativamente comum nos lares e escritórios. Como o potencial artístico das pessoas é praticamente infinito, logo estas máquinas deixaram de criar exclusivamente textos e começaram a produzir figuras. O exemplo mais antigo e preservado de uma figura criada por meio de uma máquina foi uma borboleta, criada por Flora Stacey. Toda a figura foi feita com letras, números e símbolos diversos, inclusive a borboleta no centro.



Logo depois a arte por máquinas de escrever se tornou uma febre. Algumas figuras levavam dias para ficarem prontas, mas sem dúvida ficavam maravilhosas. Até hoje ela é feita, principalmente por saudosistas. Um outro exemplo de figura feita por máquina de escrever é este belo retrato de Chopin, feito por Robert Morgan.



A vantagem de se fazer esta tipo de arte nas máquinas de escrever sobre fazer em computadores é que, nas máquinas de escrever, o papel pode ser trabalhado em vários ângulos (se bem que, com o avanço dos programas de edição de texto e de imagens esta vantagem já foi derrubada). A desvantagem é que um erro, o ângulo errado da folha ou até mesmo uma falha na pressão exercida sobre a tecla pode arruinar um trabalho de dias e dias, pelo simples fato de que as máquinas de escrever não conterem uma tecla do seu teclado: o BackSpace.

2. Very old Skool ASCII Art
Em 1900 foi criado o tatatatatatatataravô do MSN que conhecemos atualmente: o chamado Radio Teletype (RTTY). Era um tipo de comunicação máquina-pra-máquina que usava linhas telefônicas e ondas de rádio para transmitir mensagens escritas. No início era utilizado o Código Baudot, de 5-bits (só depois de 1968 que começou a ser utilizado o código ASCII, cujo nome batiza este tipo de arte). O sistema de comunicação RTTY era lento, com uma média de 60-100 palavras por minuto. Uma imagem grande podia levar mais de uma hora pra ser "entregue ao destinatário".
Deixando esta baboseira técnica para os especialistas da área, a ASCII art começou a ser enviada por meio deste sistema de comunicação em 1923. As imagens deste período são raras, sendo mais comuns os registros de 1960-1970. Um exemplo é esta figura abaixo, de Don Royer, um dos maiores contribuíntes para a ASCII Art no RTTY.

     M.                                          .:M
MMMM:. .:MMMM
MMMMMMMM:.. .:MMMMMMM
:MMHHHMMMMHMM. .:MMMMMMMMM:. .:MMHHMHMM:
:MMHHIIIHMMMM.:MMHHHHIIIHHM MMM. .::MMHIHIIHHM:
MMMHIIIIHHMMMIIHHMHHIIIIIHHMMMMMMMHHHIIIIHHM:
:MMHIIIIIHMMMMMMMHHIIIIIIHHHMMMMMMHHII:::IHM.
MH:I:::IHHMMMMMHHII:::IIHHMMMHHHMMM::I:IHMM
:MHI:HHIHMMHHIIHII::.::IIHMMHHIHHMMM::HMMM:
MI::HHMMIIM:IIHII::..::HM:MHHII:::IHHMMM:
MMMHII::..:::IHMMHHHHMHHMMI:::...::IHM:
:MHHI::....::::HMMMMMMHHII::.. ..::::M:
:MI:.:MH:.....:HMMMMHHMIHMMHHI:HH.:MM
M:.I..MHHHHHMMMIHMMMHMMHHHHHMMHHH.:MM.
:M:HM:.M I:MHIIMMIIHM I:MM::.:MMI:M..
'M::MM:IMH:MMII MMHIMHI :M::IIHMM:MM
MH:HMMHIHMMMMMMHMMIMHIIHHHHIMMHHMM
MI:MMMMHI:::::IMM:MHI:::IMMMMHIM
MH:MMMHHHHHI:HMMHMMIHHMMMMMHIM
:IMHIHMMMMMM:MMMMMHHHHMMMHI:M
HI:IMIHMMMM:MMMMMMHHHMI:.:M
.............M::..:HMMMMIMHIIHMMMMHII:M:::'''''''''''
....:::MHI:.:HMMMMMMMMHHHMHHI::M:::::::'''''''
''' ...:MHI:.::MMHHHMHMIHMMMMHH.MI..........
''' ....MHI::..:MHHHHIHHMM:::IHM ''''
IMH.::..::HMMHMMMH::..:HM:
:M:.H.IHMIIII::IIMHMMM:H.MH
IMMMH:HI:MMIM:IHI:HIMIHM::
.MMI:.HIHMIMI:IHIHMMHIHI:MIM.
.MMHII:::IHIII::::::IIIIIIHMHII
MHHHI::.:IHHII:::.:::IIIIHMIIHM:
MHHHII::..::MII::.. ..:IIIHHHII:IM.
.MHHII::....:MHII::. .:IHHHI::IIHMM.
MMHHII::.....:IHM:. ..:IIHII::..:HHMM
MHHII:::......:IIHI...:IHI::.....::HM:
.MHHI:::.........:III..II::... ...:IHMI
:MMH:::........ ...::..::.... ...:IHMM
IMHIII:::.......... .........::IHM.
:MHIII::::...... .......::IHMM
MHHIII::::.. ......::IHM:
IMHHIII:::... .....::IIHMM
:MHHIII:::I:::... ....::::I::IIHMM
MMHHIII::IHI:::............:::IIH:IHMM
:MMHHII:IIHHI::::::.....::::::IH:IIHM:.
MMMHHII:IIHHI:::::::::::::IHI:IIM:MM::
MMMHHIII::IHHII:::::::::IHI:IIIHMM:MM:
:MMHHHIII::IIIHHII::::IHI..IIIHHM:MHMM
:MMMHHII:..:::IHHMMHHHHI:IIIIHHMM:MIM.
.MMMMHHII::.:IHHMM:::IIIIIIHHHMM:MI.M
.MMMMHHMHHII:::IHHMM:::IIIIIHHHHMM:MI.IM.
.MMMHMMMHHHII::::IHMM::IIIHHMMMMM::MMMMHHHMM.
.MMMHHMHMHHII:::.::IHMM::IIIIHHHMMMM:MMH::IHMMM
:MHIIIHMMHHHII:::IIHMM::IIIHHMMMMM:::MMMMHHHHMM.
MMHI:IIHMMHHHI::::IHMM:IIIIHHHMMMM:MMMHI::IMMMM.
MMH:::IHMMHHHHI:::IHMM:IIIHHHHMMMM:MMHI:.:IHHMM.
:MHI:::IHMHMHHII::IHMM:IIIHHHMMMMM:MHH::.::IHHM::
'MHHI::IHMMHMHHII:IHMM:IHMMHHHMMMM:MMHI::.::IHHMM:
:MHII:IIHMHIHHIIIIHMM:IIHHHHMMMM:MHHI:...:IIHMMM:
'MHIII:IHHMIHHHIIHHHMM:IHHHMMMMM:MHHI:..::IIHHMM
:MHHIIIHHMIIHHHIHHHMM:HHHHMMMMM:MHII::::IIIHHMM
MHHIIIIHMMIHHHIIHHMM:HHHHMMMM:MMHHIIHIIIIIHHMM.
'MHHIIIHHMIIHHIIIHMM:HHHMMMMH:MHHMHII:IIIHHHMM:
'MHHIIIHMMIHHHIHHMM:HHHMMMHH:MMIMMMHIIIHHMMMM:
'MHHIIHHMIHHHHHMMM:HHHMMMH:MIMMMMMMMMMMHIHHM:
:MHHIIHMIHHHHHMMM:HHHMMMM:MMHMMHIHMHI:IHHHM
MHHIIHM:HHHHHMMM:HHHMMMM:MMMHIHHIHMM:HHIHM
MHHIHM:IHHHHHMM:HHHHHMM:MMHMIIHMIMMMIHIM:
:MHIHMH:HHHHMMM:HHHHMM:MMHIIHMIIHHIMMHIM'
MMHHMH:HHHHHMM:HHHHMM:MHHHHIMMHII::IHMH:
'MMMMH:HHHHHMM:HHHHMM:MHHIHMMIIIHMHIMM:
:MMHM:HHHHHMM:HHHHMM:MHIHIMMMHIHHIMIH:
MMMM:HHHHHMM:HHHHHM:MHHMIMMMHHHHHIM:MMMMM.
:MMM:IHHHMMM:HHHHMM:MHHHIIMMMIIMIM:MMMMMMM:
:MMM:IHHHHM:HHHHMMM:MMHHHIHHMMMMM:MMMMMMMMM
MHM:IHHHMM:HHHMMMM:MMHHHHIIIHHHIIIMMMMMMMM
MHM:IHHHMM:HHHMMMM:HMMMHHHHHHHMMMMMMMMMMM:
MHM:IHHHHM:HHHHHMM:HHHMMMMMHHHHMMMMMMMMM'
.MI:.MMM:IMHHIM:MMHMMMMMMHHHHIMHIMMHHHHHMMMM'
:IM:MMMMIM:M:MMM:MMHHHHHIHIHMMHIHMMHHHHHHMMM'
:IM:M:MIM::M:HM:IMHIM:IM:M:MIHHHIMMMMMMMMMM'
'M:MHM:M:MM:MMHIMHHIHMI '::MMMMMMM:'
'M'MHMM'M''MMHI'MMH'


F A N G -- WA6PIR


3. Old Skool ASCII Art
Continuando a viagem pelo tempo, vamos parar em meados dos anos 1980-90. Foi mais ou menos nessa época que a Internet e a computaão caseira se intensificaram. Obviamente, com ela, a ASCII Art. Beeeeeeeeeeeeeeeem antigamente os computadores não tinham visores tão bonitinhos como os de hoje em dia. Os visores, em sua maioria, eram aqueles monitores de fósforo verde, quase extintos hoje em dia, dos quais os únicos sobreviventes estão protegidos por colecionadores ou em uso naquelas grandes lojas de varejo que insistem em usá-los, juntamente com sistemas mais antigos que os operadores de caixa que sofrem em utilizá-los.
De qualquer forma, e até pouco tempo depois, os computadores não podiam mandar imagens comuns, tampouco imagens animadas. A solução? ASCII Art! De 1989 a 1994 um cara chamado David A. Bader publicou o chamado "Guia completo das Vacas", imagens em ASCII de vacas (e eventualmente outros animais) para decorar os e-mails e outros tipois de mensagens.

         (__)
(oo) U
/-------\/ /---V
/ | || * |--| .
* ||----||
~~ ~~
Cow at 1 meter. Cow at 100 meters. Cow at 10,000 meters.
Com a popularização do e-mail, pela sua simplicidade e gratuidade, na maioria dos domínios, todos criaram e-mails e mandaram e-mails pra todo mundo. E-mail pro amigo, pro inimigo, pra sua tia, pra sua esposa, pra sua mulher, pro amante da sua mulher, pro cara que comia o amante da sua mulher, pro padeiro, pro assaltante, pro pivete catador de latinha, todo mundo trocava e-mails como se trocassem cumprimentos de "bom dia" e "boa tarde". E com isso a ASCII Art se expandiu até o limite do universo, e além.

4. ASCII Art na atualidade: arte morta ou não?
Inffelizmente os mesmo avanços tecnológicos que criaram a ASCII Art também ajudaram a matá-la. Com o avanço da computação gráfica, não fazia sentido você mandar uma imagem feita com palavras: além de ser trabalhoso, era (e até hoje é) muito comum a imagem chegar toda torta no destinatário, por problemas de compressão e descompressão de dados numa mensagem. E outra, era (e ainda é) muito mais fácil simplismente colar uma imagem, ou foto, ou até um gif animado e enviar. Simples assim.

Em Junho de 1998 a Microsoft declarou a ASCII Art como "morta". Será verdade? Eu acredito que não. Uma prova disso são os inúmeros fóruns e páginas sobre o tema na Internet. Procura no Orkut a palavra "ASCII" para ver o que vai aparecer. O que eu acredito que aconteceu foi que esta bela forma de arte perdeu sua virtude, servindo hoje em dia pra encher os desgraçados e-mails do tipo "corrente" e para decorar as páginas de pessoas fúteis no Orkut. Mesmo assim, muita gente respeita este tipo de arte, mais antiga do que pode parecer, e continua criando belíssimas e complexas obras de arte, de cair o queixo. Experimenta pesquisar no Google Images os dizeres "ASCII Art" e verifique o resultado. Demais!
Eu pessoalmente me aventurei neste meio, e fiz uma criação especial para este post. Espero que gostem. Para ver a imagem em tamanho maior, clique sobre ela:



Tentei recriar aquela clássica foto da Marilyn Monroe: na parte superior direita, as letras utilizadas foram as mesmas que compõem as palavras "Marilyn Monroe"; no canto superior direito usei blocos que variam do branco ao preto absoluto; no canto inferior esquerdo usei os símbolos . e # ; e no canto inferior direito usei números, símbolos e letras randômicos.

Para finalizar o meu longo texto, deixo aqui uma dica de software bem bacana: o ASCGEN (sigla para ASCII Generator). Com ele uma imagem, por mais compexa que seja, é convertida em segundos em ASCII ART. Tenho que admitir, a imagem da Marilyn Monroe foi feita com este programa. O mais foda é que dá pra editar a imagem em ASCII, como as letras que vão compor a imagem, contraste, brilho, tamanho da fonte, tamanho da imagem e muito mais. O programa pode ser baixado aqui.

Antes de terminar de vez minha postagem, gostaria de citar a principal fonte (em Inglês) de informações: foi o site History of ASCII Art, escrito por Joan G. Stark. Esta foi a principal fonte porquê não existe este tipo de informação em Português. Thank you, Joan.

Nenhum comentário: