7 de out de 2009

Calor, calor e mais calor

Postado por Costela

Já cheguei em Maceió. Saí de Belo Horizonte hoje por volta das 11:00 e peguei um avião que fez uma ponte aérea em Salvador.
Main Got, como o atendimento em Salvador é ruim. Que me desculpem os sorvetes napolitanos soteropolitanos, mas o atendimento no aeroporto foi o pior possível. Quando a gente desembarcou, ninguém veio até nós avisar o que fazer a seguir. Ficamos rodando como baratas tontas no saguão de desembarque até a hora que eu consegui uma informação com a faxineira uma funcionária cara-de-cu, e ela me disse para esperar em frente ao portão 10 que o vôo já ia sair em 50 minutos. "Oi?" eu disse. "50 minutos?" Tive que perguntar para ver se estava ouvindo certo. Ela confirmou e me pediu para esperar.
O pior é o lanche dentro do avião. Foi-se a época em que nos aviões ganhávamos comida de verdade. Agora o máximo que nos fornecem é ração em forma de comida de gente. A mocinha tem a audácia de perguntar "O senhor gostaria de uma deliciosa barrinha de cereais?". Dá vontade de perguntar se ela quer tomar uma deliciosa pomba sem asa no pé do ouvido. Pelo menos as aeromoças ( comissária de bordo é o escambau ) são lindas.
O calor aqui está causticante. Todos vocês sabem que sou gordinho, então estou sofrendo demais com este mormaço que me sufoca.
Tudo aqui é muito caro. A comida é cara, a bebida é cara, até a água é cara. Três reais por um copinho de água na praia. Três reais por água. Mas é melhor comprar do que beber a água daqui. Ouvi dizer que a água de Maceió é doente, e faz muito mal. Não sei se é verdade, mas eu é que não vou arriscar.
No mais a cidade é legal. As pessoas são solícitas, o atendimento é razoável.
Mas de verdade? Eu já estou morrendo de saudade de casa.

Um comentário:

ram disse...

ah, vai pro inferno, vai pra praia e ainda reclama =P